A formação de professores do ensino secundário ao longo do século XX em Portugal – processos e debates

Raquel Pereira Henriques

Resumo


Como é que a formação de professores do ensino secundário/liceal/médio se processou, em Portugal, em alguns momentos-chave do século XX? Quais foram as principais alterações e como foram debatidas?

Tentar-se-á apresentar uma súmula organizada diacronicamente dando voz, sempre que possível, aos próprios educadores. Na impossibilidade de abordar diferentes processos de formação, optou-se por especificar algumas etapas mais relevantes da formação inicial dos professores para o ensino secundário em três momentos políticos distintos da História Contemporânea de Portugal, ou seja, durante a Primeira República (1910-1926), na Ditadura Militar e Estado Novo (1926-1974) e, por fim, após o 25 de Abril de 1974 e na atualidade. No longo período de 1926 a 1974 serão sobretudo analisados os anos de consolidação do regime ditatorial e, também, a partir da década de 1960, por corresponderem a fases em que se verificaram alterações muito significativas na educação e nos processos de formação.

Ao longo de um século a formação de professores acabou por revelar oscilações, algumas permanências e recuperações cíclicas. No entanto, nunca a certificação escolar dos docentes foi descurada, apesar de todas as alterações verificadas – ela permite integrá-los como funcionários públicos, regula oficialmente o seu trabalho e legitima-o, habilita-os para poderem exercer um papel transformador das novas gerações

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

 

Rev. Intern. Form. Prof., Itapetininga, SP, Brasil, e-ISSN 2447-8288

Ano de fundação: 2015

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.