Despertando emoções nos anos iniciais do ensino fundamental através da aprendizagem da matemática

Fabiana Moreno das Neves, Hildegard Susana Jung, Idio Fridolino Altmann

Resumo


O objetivo deste estudo consiste em refletir sobre a metodologia da aprendizagem ativa para a matemática nos anos iniciais. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, que buscou seus dados em uma revisão bibliográfica sobre o tema. Foi possível verificar que essa metodologia acrescenta possibilidades de desenvolvimento aos envolvidos, oportunizando prazer em fazer novas descobertas. Através dessa metodologia, recursos e ambiente podemos despertar a curiosidade e as emoções dos educandos, desenvolvendo o pensamento matemático por meio da resolução de problemas e compreensão da importância do universo numérico, conferindo-lhe os respectivos significados.


Palavras-chave


Palavras-chave: Ensino da Matemática. Metodologias inovadoras. Aprendizagem ativa.

Texto completo:

PDF

Referências


AUSUBEL, David P.; ROBINSON, Floyd G. School learning: an introduction to educational psychology. New York: Rinehart and Winston, 1969.

BAUMAN, Zygmunt. A cultura no mundo líquido moderno. São Paulo: Editora Companhia das Letras, 2013.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 1. ed. rev. e actual. Lisboa: Edições 70, 1977.

BERGMANN, Jonathan; SAMS, Aaron. Sala de Aula Invertida: uma metodologia ativa de aprendizagem. 1. ed.- Rio de Janeiro: LTC, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em jun. 2020.

CARVALHO, Diego de; BOAS, Cyrus Antônio Villas. Neurociências e formação de professores: reflexos na educação e economia. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 26, n. 98, p. 231-247, 2018.

CHRISTENSEN, Clayton M.; HORN, Michael B.; JOHNSON, Curtis W. Inovação na sala de aula: como a inovação disruptiva muda a forma de aprender. Tradução: Rodrigo Sandemberg. Edição atualizada e ampliada. Porto Alegre: Bookmann, 2012.

DANTE, Luiz Roberto. Didática da resolução de problemas de matemática: 1ª a 5ª séries, para estudantes do curso de magistério e professores do 1º grau. 12. ed. SP: Ática, 2003

DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir: relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI, 1999. Disponível em: http://dhnet.org.br/dados/relatorios/a_pdf/r_unesco_educ_tesouro_descobrir.pdf. Acesso em 12 jun. 2020.

DEMO, Pedro. Complexidade e aprendizagem: a dinâmica não linear do conhecimento. SP: Atlas, 2002.

GASTARDELLI, Gustavo. (Org.). Aprendizagem ativa: desafios para uma educação disruptiva. Caxias do Sul: Editora da AESC, 2017.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2008.

KÖCHE, José Carlos. Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e iniciação à pesquisa. 28. ed.-Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

SCHNEIDER, Sergio; SCHMITT, Cláudia Job. O uso do método comparativo nas Ciências Sociais. Cadernos de Sociologia, Porto Alegre, v. 9, p. 49-87, 1998 Disponível em: http://www.ufrgs.br/pgdr/arquivos/373.pdf. Acesso em 11 jun. 2020.

VICKERY, Anitra. Aprendizagem Ativa nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. 28. ed. Porto Alegre, RS: Penso, 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

 

Rev. Intern. Form. Prof., Itapetininga, SP, Brasil, e-ISSN 2447-8288

Ano de fundação: 2015

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.