A pesquisa na formação do professor de matemática

Américo Junior Nunes da Silva, Caique Oliveira

Resumo


Este artigo objetiva analisar como as três licenciaturas presenciais em Matemática, ofertadas no município de Barreiras-BA, apresentam em seus Projetos Pedagógicos de Curso (PPC) a pesquisa como elemento presente na formação do professor de Matemática e entender os reflexos dessa organização curricular para a formação desse professor, enquanto pesquisador. Esta pesquisa qualitativa, do tipo documental, analisou os dados a partir da Análise de Conteúdo (AC). Assim, ao longo dos PPC analisados, observamos que as três instituições buscam articular a tríade ensino, pesquisa e extensão e consideram a pesquisa enquanto espaço de formação importante para reflexão e construção da identidade docente.

Palavras-chave


Formação de professores. Pesquisa. Educação Matemática.

Texto completo:

PDF

Referências


BAHIA. Projeto pedagógico do curso de licenciatura em Matemática da Universidade do Estado da Bahia, Campus IX. Barreiras: Universidade do Estado da Bahia, 2011.

BAHIA. Secretaria da Educação. Superintendência de Políticas para Educação Básica. União Nacional dos Dirigentes Municipais da Bahia. Documento Curricular Referencial da Bahia para Educação Infantil e Ensino Fundamental – Superintendência de Políticas para Educação Básica. União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação. Bahia Salvador: Secretaria da Educação, 2019.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70, LDA, 2009.

BRASIL. Parecer CNE/CP nº 09, de 08 de maio de 2001. Dispõe sobre Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília, DF, 2001.

BRASIL. Parecer CNE/CES nº 15, de 02 de fevereiro de 2005. Solicitação de esclarecimento sobre as Resoluções CNE/CP nºs 1/2002, que institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena, e 2/2002, que institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior. Brasília, DF, 2005.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 2, de 01 de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, DF, 2015.

BRASIL. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Federal do Oeste da Bahia. Ministério da Educação: Secretaria da Educação Superior, 2016.

BRASIL. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática do Instituto Federal da Bahia, Campus Barreiras. Ministério da Educação: Secretaria da Educação Profissional e Tecnológica, 2017.

BERTANI, J. A. A profissionalização do professor de matemática e a fundação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Bahia: contribuições e controvérsias de Isaías Alves. 2008. Disponível em: http://www.necso.ufrj.br/esocite2008/resumos/36107.htm. Acesso em: 03 jun. 2020.

BORBA, M. C. A pesquisa qualitativa em Educação Matemática. In: Anais da 27ª reunião anual da ANPED. Caxambu, MG, 21-24 Nov. 2004.

D’AMBRÓSIO, B. S; D’AMBRÓSIO, U. Formação de professores de matemática: professor-pesquisador. In: Atos de pesquisa em educação, v. 1, n. 1, 2006, p. 75-85.

D´AMBROSIO, Beatriz S. Formação de Professores de Matemática Para o Século XXI: O Grande Desafio. Vol. 4. 1993.

DIAS, A. L. M. Profissionalização dos professores de matemática na Bahia: as contribuições de Isaías Alves e de Martha Dantas. 2008. Disponível em: http://www.revistas2.uepg.br/index.php/humanas/article/view/641/623 . Acesso em: 03 jun. 2020.

GARNICA, A. V. M. História Oral e educação Matemática. In: BORBA, M. C.; ARAÚJO, J. L. (Org.) Pesquisa Qualitativa em Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

GATTI, B. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação e Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out.-dez. 2010.

GATTI, B. A; BARRETO, E. S. S; ANDRÉ, M. E. D. A; ALMEIDA, P. C. A. Professores no Brasil: novos cenários de formação. Brasília: UNESCO, 2019.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed São Paulo. Atlas, 2012.

LIBÂNEO, J. C. Pedagogia e pedagogos para quê? 9. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

LINHARES, C. F. S. Trabalhadores sem trabalho e seus professores: Um desafio para a formação docente. In ALVES, N. (org.). Formação de Professores: pensar e fazer. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2008. p. 9-36.

MENEZES, M. A. Currículo, formação e inclusão: alguns implicadores. In: FELDMANN, M. G. Formação de professores e escola na contemporaneidade. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2009. p. 201-220.

MUNIZ, C. A. Gestar II- Matemática: caderno de teoria de prática 3. Brasília: MEC, 2008.

PEREIRA, J. E. D. Formação de professores – pesquisa, representações e poder. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: saberes da docência e identidade do professor. In: Revista Faculdade de Educação, São Paulo, v. 22, n. 2, p. 72-89, jul/dez 1996.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: Identidade e saberes da docência. In: PIMENTA, S. G. Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 1999. p. 15-34.

SACRISTÁN, J. G. O Currículo: uma reflexão sobre a prática. Tradução Ernani F. Rosa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SHULMAN, L. S. Conocimiento y enseñanza: fundamentos de la nueva reforma. Profesorado. In: Revista de Currículum y formación del profesorado, v. 9, n. 2, p. 1-30, 2005. Disponível em: http://www.ugr.es/~recfpro/Rev92.html" http://www.ugr.es/~recfpro/Rev92.html. Acesso em: 15 maio 2020.

SILVA, C. M. S. A faculdade de filosofia, ciências e letras da USP e a formação de professores de matemática. Emanped. Rio de Janeiro: UFRRJ. 2010. Disponível em: http://www.ufrrj.br/emanped/paginas/conteudo_producoes/docs_23/faculdade_filosofia. pdf. Acesso em 01 abril. 2020.

SILVA, A. J. N. A ludicidade no laboratório: considerações sobre a formação do futuro professor de matemática. Curitiba: Editora CRV, 2014.

SILVA, A. J. N. S. O laboratório de educação matemática e a microinvestigação: aliados na formação do professor pesquisador. In: Educación Matemática en las Américas: 2015. Volumen 7: Investigación. Editores: Patrick (Rick) Scott y Ángel Ruíz. Comité Interamericano de Educación Matemática, República Dominicana, 2015.

SUZART, L. A. SILVA, A. J. N. O Estágio Supervisionado e o constituir-se professor de Matemática: “ser ou não ser professor?”. Educação Básica Revista, São Paulo, v. 6, n. 1, 2020. No prelo.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

 

Rev. Intern. Form. Prof., Itapetininga, SP, Brasil, e-ISSN 2447-8288

Ano de fundação: 2015

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.