Formação docente em nível médio e superior: perspectivas de professores sobre o exercício da docência em seu trabalho

Helenice Maia

Resumo


A formação de professores para atuar na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental, pode ser realizada em nível médio e em nível superior, conforme explícito na Lei nº 9394/1996.  Três instâncias diferentes coexistem e disputam a regulamentação de cursos e a modalidade dessa formação, o que parece ter contribuído mais para acentuar dificuldades do que consolidar melhorias que cada uma dessas instâncias poderia trazer para a formação e o trabalho docente. Este artigo discute essa questão, conforme a perspectiva de docentes que atuam nessa etapa da Educação Básica em escolas públicas municipais localizadas no Rio de Janeiro.


Palavras-chave


Formação de professores. Docentes. Ensino Fundamental. Anos iniciais. Escolas públicas.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRIC, J. C. Methodologie de recueil des répresentations sociales. In: ABRIC, J. C. (Ed.). Pratiques sociales et répresentations. Paris: PUF, 1994, p. 37-57.

ALVES-MAZZOTTI, A. J. et alii. Representações sociais de formação pedagógica por professores, alunos e egressos das licenciaturas que atuam no ensino fundamental. Relatório Técnico. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). 2018.

______. Formação do professor das séries iniciais e trabalho docente. Relatório Técnico. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). 2013.

______. Gênese das representações de identidade docente de professores de primeiro e de segundo segmento do ensino fundamental. Relatório Técnico. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). 2007.

______; MAIA, H. Formação e trabalho docente: representações de professores de curso normal Médio. In: SOUSA, C. P.; VILLAS-BÔAS, L. P. S.; ENS, R. T. (Org). Representações sociais: políticas educacionais, justiça social e trabalho docente. Curitiba: Champagnat, 2011, p. 67-92.

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA. Resolução CNE/CEB n. 2, de 19 de abril de 1999. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Docentes da Educação Infantil e dos anos iniciais do Ensino Fundamental, em nível médio, na modalidade Normal. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rceb02_99.pdf. Acesso em: 24 mar. 2013.

______. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA. Parecer CNE/CEB n. 01, de 29 de janeiro de 1999. Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de Professores na Modalidade Normal em Nível Médio. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/pceb001_99.pdf. Acesso em: 24 mai. 2013.

______. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. CONSELHO PLENO. Resolução CNE/CP n. 01, de 15 de maio de 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf. Acesso em: 17 mar. 2013.

______. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. CONSELHO PLENO. Resolução CNE/CP n. 05 de 15 de dezembro de 2005. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/pcp05_05.pdf. Acesso em: 23 mar. 2013.

______. Decreto-Lei n. 8.530, de 2 de janeiro de 1946. Lei Orgânica do Ensino Normal. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-8530-2-janeiro-1946-458443-norma-pe.html. Acesso em: 23 out. 2012.

______. Decreto-Lei n. 1.190, de 04 de abril de 1939. Dá Organização à Faculdade Nacional de Filosofia. Brasília, DF, v. 04, p. 50, 1939. Disponível em: http://www2.camara.gov.br/legin/fed/declei/1930-1939/decreto-lei-1190-4-abril-1939-349241-publicacaooriginal-1-pe. Acesso em: 01 out. 2012.

______. Lei n. 12.796 de 04 de abril de 2013. Altera a Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12796.htm. Acesso em: 06 jul. 2013.

______. Lei n. 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 06 jul. 2013.

______. Lei n. 5692 de 11 de agosto de 1971. Fixa as Diretrizes e Bases para o ensino de 1° e 2º graus, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l5692.htm. Acesso em: 18 jul. 2013.

______. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. CONSELHO PLENO. Resolução n. 2, de 1 de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file. Acesso em: 21 jul. 2013.

COSTA, L. F. Curso Normal Médio: representações sociais de formação por professores e alunos. 2009. 102p. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estácio de Sá. Rio de Janeiro. 2009.

CURY, C. R. J. A Formação Docente e a Educação Nacional. 2005. Disponível em: portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/conselheiro.pdf‎. Acesso em: 14 jul. 2013.

CRUZ, S. P. S.; BATISTA NETO, J. A polivalência no contexto da docência nos anos iniciais da escolarização básica: refletindo sobre experiências de pesquisas. Revista Brasileira de Educação, v. 17, n. 50, p.385-499, maio/ago. 2012.

FLAMENT, C. Aspects périphériques des representations sociales. In: GUIMELLI, C. (Ed.). Structures et transformations des représentations socials. Lausanne: Delachaux Niestlé, 1994, p. 85-118.

FREITAS, H. C. L. A reforma do Ensino Superior no campo da formação dos profissionais da educação básica: as políticas educacionais e o movimento dos educadores. Educação & Sociedade, ano XX, n. 68, p. 17-44, dez.1999.

FREITAS, H. C. L.; VIEIRA, J. D.; AGUIAR, M. A. S. Entrevista realizada por Luiz Fernandes Dourado e João Ferreira de Oliveira. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 2, n. 2-3, p. 15-27, jan./dez. 2008.

GATTI, B. A. et alii. Formação de professores para o ensino fundamental: instituições formadoras e seus currículos.. Fundação Victor Civita, São Paulo, Estudos e Pesquisas Educacionais n. 1, p. 95-138, maio 2010.

GOMES, C. A.; PEREIRA, M. M. A formação do professor em face das violências das/nas escolas. Cadernos de Pesquisa, v. 39, n. 136, p. 201-224, jan./abr. 2009.

JODELET, D. (Org). As representações sociais. Rio de Janeiro: Eduerj, 2001.

KUENZER, A. Z. Curso de Pedagogia ou Normal Superior? Revista Brasileira de Políticas e Administração da Educação, v. 23, n. 02, p. 253-275, mai./ago. 2007.

LIBÂNEO, J. C.; PIMENTA, S. G. Formação dos profissionais da educação: visão crítica e perspectivas de mudança. Educação & Sociedade, Campinas, v. 20, n. 68, p. 239-77, 1999.

LÜDKE, M.; BOING, L. A. Caminhos da profissão e da profissionalidade docentes. Educação & Sociedade, v. 25, n. 89, p. 1159-1180, set./dez. 2004.

MARTELLI, A. C.; MANCHOPE, E. C. P. A história do curso de Pedagogia no Brasil: da sua criação ao contexto após LDB 9394/96. Revista Eletrônica de Ciências da Educação, v. 3, n. 1, 21p. 2004. Disponível em: http://revistas.facecla.com.br/index.php/reped/article/view/517. Acesso em: 24 jul. 2013.

MELLO, G. N. Formação inicial de professores para a educação básica uma (re)visão radical. São Paulo em perspectiva, v. 14, n. 01, p. 98-110, 2000.

MOSCOVICI, S. Psicanálise, sua imagem e seu público. Petrópolis: Vozes, 2012.

PIMENTA, S. G. Mesa-redonda: por uma pedagogia de formação de professores. Embates conceituais e crítica das políticas atuais. In: BARBOSA, R. L. L. (Org). Trajetórias e perspectivas da formação de educadores. São Paulo: Unesp, 2005.

______. (Org). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo, Cortez, 1999.

PINHEIRO, M. L. Trajetória e interlocuções do educador João Toledo no período 1900 a 1939. Revista Conteúdo, Capivari, v.1, n.2, p. 19-33, jul./dez. 2009.

QUEIROZ, V. C. D. “Não adianta ficar no planejamento no mundo do 1 + 1 que não vai rolar!” Representações sociais de saberes didático-pedagógicos por professores dos anos iniciais do ensino fundamental. 2013. 109p. Dissertação (Mestrado em Educação) Universidade Estácio de Sá. Rio de Janeiro, 2009.

SCHIBE, L. Formação de professores no Brasil. A herança histórica Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 2, n. 2-3, p. 41-53, jan./dez. 2008.

_____. Diretrizes Curriculares para o Curso de Pedagogia: trajetória longa e inconclusa. Cadernos de Pesquisa, v. 37, n. 130, p. 43-62, jan/abr 2007.

TANURI, L. M. História da formação de professores. Revista Brasileira de Educação, n. 14, p. 61-88, maio/ago. 2000.

VERGÉS, P. Approche du noyau central: propriétés quantitatives et structurales. In: GUIMELLI, C. (Ed.). Structures et transformations des représentations sociales. Lausanne: Délachaux et Niestlé, 1994, p. 233-253.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

 

Rev. Intern. Form. Prof., Itapetininga, SP, Brasil, e-ISSN 2447-8288

Ano de fundação: 2015

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.