Formação docente e interação no curso de Letras

Luciana Soares da Silva, Márcio Rogério de Oliveira Cano

Resumo


Boa parte dos cursos iniciais de formação de professores promove uma ênfase nas teorias educacionais e acaba por distanciar-se da realidade vivenciada nas escolas. Por essa razão, objetivamos discutir a formação pré-serviço dos professores de Língua Portuguesa, partindo da experiência e da corresponsabilidade dos sujeitos envolvidos no processo formativo docente. Para isso, problematizamos a formação pré-serviço a partir da idealização da escola; recorremos aos estudos sociointeracionistas de Vygotsky (2000) sobre a constituição dos sujeitos nos processos de ensino e de aprendizagem, às reflexões de Larrosa Bondía (2002) sobre o conceito de experiência e de Nicolescu (1999) sobre transdisciplinaridade e, por fim, propomos uma reflexão acerca dos relatos de experiência de alunos e professores envolvidos no estágio do curso de Letras e elaboramos propostas de intervenção. Concluímos que a formação pré-serviço do professor de Língua Portuguesa deve unir universidade e escola em uma parceria eficaz que repense o processo formativo.

Palavras-chave


Formação docente. Experiência. Estágio.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Censo Escolar da Educação Básica 2013: resumo técnico. Brasília: INEP, 2014. Disponível em: . Acesso em: 19 ago. 2015.

GATTI, B. A.; BARRETO, E. S. de S. (Coords.). Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009. Disponível em: . Acesso em: 19 ago. 2015.

LARROSA BONDÍA, J. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, n. 19. Jan/Fev/Mar/Abr, 2002. Disponível em: . Acesso em: 16 jul. 2014.

MOLON, S. I. Notas sobre constituição do sujeito, subjetividade e linguagem. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 16, n. 4, p. 613-622, out./dez. 2011.

NICOLESCU, B. O manifesto da transdisciplinaridade. Trad. Lucia Pereira de Souza. São Paulo: Triom, 1999.

NÓVOA, A. Formação de professores e profissão docente. In: ______. (Org.). Os professores e a sua formação. 2a ed. Lisboa: Publicações Dom Quixote; Intituto de Inovação Educacional, 1995. p.00-00.

PENA-VEJA, A.; NASCIMENTO, E. P. (Orgs.). O pensar complexo: Edgar Morin e a crise da modernidade. 2a ed. Rio de Janeiro: Garamond, 1999.

SCHÖN, D. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Trad. Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SOARES NETO, J. J.; JESUS, G. R. de; KARINO, C. A.; ANDRADE, D. F. de. Uma escala para medir a infraestrutura escolar. Estudos em Avaliação Educacional. São Paulo, v. 24, n. 54, p. 78-99, jan./abr. 2013. Disponível em: . Acesso em 21 ago. 2015.

TORRES, H.; GOMES, S. Desigualdade educacional e segregação social na região metropolitana de São Paulo. Revista Novos Estudos. São Paulo: Cebrap, v. 64, p. 132-140. Disponível em: . Acesso em 23 ago. 2015.

VYGOTSKY, L. S. Manuscrito de 1929. Educação & Sociedade, ano XXI, nº 71, p. 21-44, Julho/2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

 

Rev. Intern. Form. Prof., Itapetininga, SP, Brasil, e-ISSN 2447-8288

Ano de fundação: 2015

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.