A educação e a degenerescência da formação em Nietzsche

Junior Tavernard, Luzia Batista de Oliveira Silva

Resumo


Este artigo explora o conceito de educação e formação na filosofia de F. W. Nietzsche, com base em alguns textos selecionados do autor, sobretudo, os dedicados à educação.  Como o modelo formativo dos alemães pôde se converter num modelo pragmático que precipitou a degeneração da formação? Como a educação pode ser emancipadora e, ao mesmo tempo, malévola para uma civilização? Realizamos uma investigação histórico-filosófica da educação alemã, sobretudo e, especialmente, no sec. XIX, a fim de compreendermos o alcance dessas aporias. Os processos formativos ficaram totalmente deteriorados porque foram submetidos aos interesses do Estado e da agenda do capital, transformando-os em mercadorias.


Palavras-chave


Nietzsche; Educação Alemã; Formação

Texto completo:

PDF

Referências


ABEL, G. Verdade e interpretação. Trad. de Claudemir Luís Araldi. In: Cadernos Nietzsche, n. 12, São Paulo, 2002. [Grupo de estudos Nietzsche].

ABRÃO, B. S. História da Filosofia. São Paulo: Nova Cultural, 2004.

ALMEIDA, R. M. A fragmentação da cultura e o fim do sujeito. São Paulo: Loyola, 2012.

ARALDI, C. L. Nietzsche, a educação e a crítica da cultura. In: AZEVEDO, V. D. (Org.). Nietzsche: filosofia e educação. Ijuí: UNIJUÍ, 2008.

SILVA Jr., I. (org.). Nietzsche e a interpretação. Curitiba: CRV, São Paulo: Humanitas, 2012 (Col. Nietzsche em perspectiva, Vol I).

DELEUZE, G. Nietzsche. Trad. Alberto Campos. Lisboa: Edições 70, 2001.

DIAS, R. M. Nietzsche educador. São Paulo: Scipione, 1991.

DRIJARD, A. Alemanha: panorama histórico e cultural. Lisboa: Dom Quixote, 1972.

ELIAS, N. História das grandes ideias do mundo ocidental. São Paulo: Abril Cultural, 1972, (Coleção Os Pensadores).

ELIAS, N. Os alemães: a luta pelo poder e a evolução do habitus nos séculos XIX e XX. Trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1997.

KANT, I. Sobre a pedagogia. Trad. de Francisco Cock Fontanella. 2.ed. Piracicaba: Unimep, 1999.

KROCKOW, C. G. V. Prússia: um balanço. Trad. de Rósula Kelly Medrado Almeida Passos. São Paulo: Mackenzie, 2002.

LARROSA, J. Extravagâncias: ensaios sobre a filosofia de Nietzsche. São Paulo: Discurso Editorial e UNIJUÍ, 2000.

LARROSA, J. Nietzsche e a Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

LARROSA, J. Claustros vão se fazer outra vez necessários. In: AZEVEDO, V. D. (Org.). Nietzsche: filosofia e educação. Ijuí: UNIJUÍ, 2008 (Coleção Nietzsche em perspectiva).

NEUKAMP, E. As críticas do professor Nietzsche à educação de seu tempo. 2012. Disponível em: . Acesso em 10.08.2012.

NIETZSCHE, F. Breviário de Citações: Fragmentos e Aforismos. São Paulo: Princípio Editora, 1996.

NIETZSCHE, F. Escritos sobre política. (Vol. I e Vol. II). São Paulo: Loyola / Rio de Janeiro: PUC-RJ, 2007.

NIETZSCHE, F. Crepúsculo dos ídolos: ou como filosofar a marteladas. Trad. de Antonio Carlos Braga. 2.ed. São Paulo: Escala, 2008.

NIETZSCHE, F. Escritos sobre educação. Tradução, apresentação e notas de Noéli Correia de Melo Sobrinho. 6.ed. São Paulo: Loyola/Rio de Janeiro: PUC-RJ, 2012.

WEBER, J. F. Formação (Bildung), educação e experimentação em Nietzsche. Londrina: Eduel, 2011.

WEBER, J. F. Fragmentos finais. Seleção, tradução e prefácio de Flávio R. Khote. Brasília: Editora Universidade de Brasília, São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

 

Rev. Intern. Form. Prof., Itapetininga, SP, Brasil, e-ISSN 2447-8288

Ano de fundação: 2015

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.