Trajetórias de vida dançantes: a elaboração da corporeidade de professores

Roberta Maria Zambon Maziero, Maristela Angotti

Resumo


O presente artigo trata da elaboração da corporeidade de três professoras e um professor que possuem experiências com a dança em suas trajetórias de vida. Utiliza pressupostos da Fenomenologia, dentro de uma abordagem qualitativa, entrelaçando os conceitos de corporeidade, cultura, dança e formação de professores. As descrições revelam experiências na formação inicial e continuada com uma dança performática e a visão do corpo como objeto. Na formação contínua em serviço surgem novas experiências e reflexões, levando-nos a compreensão das trajetórias de vida dançantes como geradoras da elaboração da compreensão de si e apreensão da realidade.


Palavras-chave


Professor(a); Dança; Corporeidade; Formação; Emancipação

Texto completo:

PDF

Referências


BARBIERI, S. Interações: onde está a arte na infância. Tradução: Regina Schöper, Mauro Baladi. São Paulo: Blucher, 2012.

BARCO, A. P. A concepção Husserliana de corporeidade: a distinção fenomenológica entre corpo próprio e corpos inanimados. Revista Synesis: Petrópolis, v. 4, n. 2, p. 1-12, ago/dez. 2012.

BARDET, M. A filosofia da dança: um encontro entre dança e filosofia. São Paulo: Martins Fontes – selo Martins, 2014.

BRASIL. Fundação Carlos Chagas. Formação continuada de professores: uma análise das modalidades e das práticas e Estados e Municípios Brasileiros. São Paulo: Fundação Victor Civitta, 2011.

CASTELLANI FILHO, L. et al. Metodologia do ensino de Educação Física. São Paulo: Cortez, 2009.

CHAUÍ, M. Conformismo e resistência. Aspectos da cultura popular no Brasil. 6° reimpressão. São Paulo: Editora Brasiliense S/A, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 59 ed. Rio de Janeiro: Paz &Terra, 2015.

FREIRE P. Pedagogia da Autonomia. Saberes necessários à prática educativa. 51° ed. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 2015.

FREIRE P. Conscientização. São Paulo; Cortez, 2016.

GARAUDY, R. Dançar a vida. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

GHEDIN, E. A reflexão sobre a prática cotidiana – caminho para a formação contínua e para o fortalecimento da escola enquanto espaço coletivo. In: BRASIL. Ministério da Educação. Formação de professores. Boletim 13, agosto 2005, p. 24-32.

GONÇALVES JUNIOR, L. Cultura corporal: alguns subsídios para sua compreensão na contemporaneidade. São Carlos – EDUFSCar, 2003.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M.E.D.A. Pesquisa em Educação: Abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986

MARQUES, I. Linguagem da dança. Arte e ensino. 1 ed. São Paulo: Digitexto, 2010.

MARTINS, J.; BICUDO, M. Ap. V. A pesquisa qualitativa em psicologia. Fundamentos e Recursos básicos. 2 ed. São Paulo: Editora Moraes, 1994.

MERLEAU – PONTY, M. Fenomenologia da percepção. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

MERLEAU – PONTY, M. O olho e o espírito. 1 ed, São Paulo: Cosac Naif, 2013.

OLIVEIRA DE JESUS, L. de F. Autoformação: conhecendo a vida e o trabalho de professoras e professores. In: BUENO, Belmira Oliveira; CATANI, Denise Bárbara; SOUZA, Cynthia Pereira de (orgs.). A vida e o ofício dos professores. 2 ed. São Paulo: Escrituras Editora, 2000, p. 101-110.

REZENDE, A. M. de. Concepção Fenomenológica da Educação. São Paulo: Cortez, 1990.

SCHÖN, D. A. Educando o professional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SILVA, C. F. da. Por uma história da dança: Reflexões sobre as práticas historiográficas para a Dança, no Brasil contemporâneo. 2012, 121 f. (Dissertação de Mestrado) – Escola de Dança, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Salvador. 2013.

SUQUET, A. Cenas. O corpo dançante: um laboratório de percepção. In: COURTINE, J-J.; VIGARELLO, G. (org.). História do corpo. 3. As mutações do olhar. O século XX. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008, p. 509-540.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

 

Rev. Intern. Form. Prof., Itapetininga, SP, Brasil, e-ISSN 2447-8288

Ano de fundação: 2015

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.