Redução do número total de espermatozoides para técnica de inseminação artificial intrauterina em fêmeas suínas

Lucio Pereira Rauber, Lucas Comunello, Lucas Giacomin

Resumo


A suinocultura é uma atividade pecuária bem consolidada no Brasil, o aumento da produtividade na suinocultura deve-se pela adoção e desenvolvimento de novas tecnologias em todas as áreas de produção. Na reprodução a técnica de inseminação artificial (IA) representa enorme avanço desde a sua implantação pela melhora significativa nos aspectos produtivos e econômicos da produção suinícola. A inseminação artificial intrauterina (IAU) é capaz de reduzir o número de barreiras mecânicas e fisiológicas a serem vencidas pelos espermatozoides até chegar ao local de fertilização. Assim, teoricamente, menores concentrações de espermatozoides por dose inseminante (DI) poderiam ser usadas com melhor aproveitamento do ejaculado. Foram utilizadas 46 matrizes de linhagens comercias, distribuídas em dois tratamentos de IAU, 1,5 x 109 espermatozoides no Tratamento 1 (T1) e 3 x 109 espermatozoides no Tratamento 2 (T2 - controle). O volume de sêmen diluído utilizado em cada inseminação foi de 50 mL. Foram realizadas duas inseminações com intervalos iguais de 12 e 36 horas após diagnóstico de cio. Não houve diferença (P>0,05) nas médias dos números de leitões nascidos (11,8 e 12,27), natimortos (1,28 e 2) e mumificados (1 e 3), entre os dois tratamentos, respectivamente. A inseminação intrauterina de fêmeas suínas com doses de 1,5 bilhão de espermatozoides, permite a obtenção de desempenho reprodutivo semelhante ao observado com a inseminação com doses de 3 bilhões de espermatozoides.


Palavras-chave


tIamanho de leitegada, suinocultura, sêmen suíno

Texto completo:

106-114

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Revista Brasileira de Iniciação Científica, Itapetininga, SP, Brasil, ISSN: 2359-232X

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.