Custo humano no trabalho de agentes penitenciários

Jonatan da Rosa Pereira da Silva, Francine Cassol Prestes, Carmem Lúcia Colomé Beck, Rosângela Marion da Silva

Resumo


Objetivo: avaliar o custo humano no trabalho e relacioná-lo com as características sociolaborais de agentes penitenciários. Método: estudo transversal, realizado com 87 agentes de um serviço prisional, no ano de 2012. Utilizou-se a escala de Custo Humano no Trabalho e os dados foram analisados por meio do programa Predictive Analytics Software. Resultados: o custo humano foi considerado moderado. As exigências cognitivas representaram o maior dispêndio no trabalho dos agentes penitenciários.

Palavras-chave: Saúde do Trabalhador, Prisões, Desgaste Humano, Enfermagem.


Texto completo:

112-124

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Revista Brasileira de Iniciação Científica, Itapetininga, SP, Brasil, ISSN: 2359-232X

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.