Os significados socioculturais da prática do co-leito

Charlene Gozzo Perretti, Régia Oliveira

Resumo


O presente texto busca apresentar os resultados de pesquisa de iniciação científica cujo objetivo foi apreender os significados sociais do co-leito expressos por mulheres que realizam essa prática. A abordagem metodológica, qualitativa, contou com entrevistas semi-estruturadas. Participaram da pesquisa seis mulheres com idade entre dezenove e trinta e sete anos, casadas, moradoras de São Paulo, com escolaridade média de treze anos. Para análise das entrevistas, foram destacados termos que surgiram de modo recorrente nas falas e que se apresentaram como resultados de pesquisa. O artigo apresenta e discute esses termos, que estão relacionados ao co-leito, segundo a percepção das mulheres entrevistadas: cansaço, participação e papel do pai, cuidado, medo, família/ maternidade ideal / social; medicina; Instinto; maternidade vista como natural; vínculo, intimidade do casal; sexualidade; término do co-leito; solidão; benefícios para bebê e criança.


Texto completo:

110-129

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Revista Brasileira de Iniciação Científica, Itapetininga, SP, Brasil, ISSN: 2359-232X

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.