Inserção da pessoa com deficiência física no mercado de trabalho

Alessandra Matsushima, Daniel Marinho Cesar da Cruz, Daniela da Silva Rodrigues, Mirela de Oliveira Figueiredo, Regina Helena Vitale Torkomian Joaquim

Resumo


Esta pesquisa teve por objetivo identificar as barreiras e os facilitadores do processo de inserção da pessoa com deficiência física no mercado de trabalho e verificar as contribuições do uso de tecnologia assistiva (TA) no trabalho. O método foi descritivo e exploratório, com uma amostra de 30 adultos com deficiência física, entre 18 a 60 anos, inseridos ou não nos ambientes de trabalho e alocados na rede de saúde do Estado de São Paulo. Os instrumentos para a coleta de dados foram a Lista de Identificação de Papéis Ocupacionais e um roteiro de entrevista semiestruturado elaborado pelos pesquisadores. A análise foi realizada numa abordagem quanti-qualitativa a partir de estatística descritiva simples e pelo programa Many Eyes da International Business Machines Corporation (IBM). Os resultados revelaram o perfil sociodemográfico das pessoas com deficiência física, homens (63%), com média de faixa etária de 38,2 anos, com ensino médio completo (30%) e superior completo (30%). Apesar do aparato legal que garante a inserção de pessoas com deficiência no mercado de trabalho há inúmeras barreiras latentes relacionadas à empregabilidade tais como as ambientais, a negociação entre as ofertas de trabalho e as reais capacidades de cada sujeito e a necessidade de capacitação profissional para as vagas existentes. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Revista Brasileira de Iniciação Científica, Itapetininga, SP, Brasil, ISSN: 2359-232X

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.