O impacto dos Institutos Federais no desenvolvimento territorial: um estudo de caso do campus São João da Boa Vista

João Victor Jove Godoy, Lucas Labigalini Fuini

Resumo


O presente artigo visa realizar uma pesquisa quanti-qualitativa, apoiada em análises bibliográficas e documentais, e de dados estatísticos, com o objetivo de caracterizar os impactos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) para o desenvolvimento territorial local e regional do município de São João da Boa Vista e seu entorno, partindo de seu contexto histórico, político e social, assim como, das atividades desenvolvidas pela instituição e sua comunicação com a comunidade externa. Com o uso da matriz SWOT, conclui-se que os impactos do IFSP para o município estudado é marcado por oportunidades e forças e fraquezas (ou fragilidades) e ameaças, sendo fundamental ao campus potencializar suas forças e transformar oportunidades em ações concretas.

Palavras-chave


Desenvolvimento. Território. IFSP. São João da Boa Vista.

Texto completo:

PDF

Referências


PNUD/Fundação João Pinheiro/IPEA. Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil. Brasília, 2019. Disponível em: < http://atlasbrasil.org.br/>. Acesso em 10 de outubro de 2019.

AZZONI, C. R. Competitividade regional e reconcentração industrial: O futuro das desigualdades regionais no Brasil. Nemesis, 1997.

BOISIER, S. Desarrollo (local): ¿De qué estamos hablando? In: BECKER, F. D.; BANDEIRA, P. S. (orgs). Determinantes e desafios contemporâneos. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2000. pp.151-185.

BRASIL. Lei n. 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Disponível em: . Acesso em 04/12/2018.

CANO, W. Concentração e desconcentração econômica regional no Brasil. Economia e sociedade, Campinas, v. 8, p. 101 – 139, 1997.

FUINI, L. L. A territorialização do desenvolvimento: construindo uma proposta metodológica. Interações, Campo Grande, v. 15, n. 1, p. 21-34, jan/jun. 2014.

FUINI, L. L.; SILVA, A. A construção do território e as territorialidades: As dimensões do poder e seus sujeitos sociais em São João da Boa Vista/SP. Sinergia, São Paulo, v. 20, n. 3, p. 184-195, jul./set. 2019.

FURTADO, Celso. Raízes do subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

GIANELLI, J. G. O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo – Câmpus São João da Boa Vista: a questão do Ensino Médio Integrado. Tese (Doutorado em Educação) - Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2018, 321 p.

GRACIANO, L. P. V. Autonomia na gestão pública: Desafios e decisões na gestão financeira do IFSP – Câmpus SBV. Trabalho de Conclusão de Curso, Tecnologia em Processos Gerenciais, São João da Boa Vista, IFSP, 2018. 75 p.

GUIMARÃES, L. Ciclos econômicos e desigualdades regionais no Brasil. CAPA, v. 14, n.2, p. 315 – 342, 1998.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA, 2000. Resultados do Censo de 2010. Disponível em: Acesso em: 08/07/2019.

INEP - INTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANISIO TEIXEIRA. Censo Escolar, 2019. Disponível em: < http://portal.inep.gov.br/censo-escolar>. Acesso em: 28/09/2019.

NEVES, G. F. F. Alunos do ensino técnico e seus projetos de vida. Dissertação (Mestrado em educação) - Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino FAE, São João da Boa Vista, 2017, 180 p.

NOGUEIRA, N. R. Projeto político-pedagógico (PPP): guia prático para construção participativa. 1. ed. São Paulo: Érica, 2009.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO. Relatório de Gestão – 2017-2018. Disponível em: ; Acesso em: 23/08/2019.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO. PDI 2014-2018 do IFSP. Disponível em . Acesso em 20/08/2019.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO. PPP 2018 do IFSP. São João da Boa Vista/SP. Disponível em . Acesso em 20/08/2019.

MINAYO, M.C.S. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciênc. saúde coletiva. 2012, vol.17, n.3, pp.621-626. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232012000300007&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 01/06/2019.

SANDRONI, P. Novíssimo dicionário de economia. 1. ed. rev. e ampl. São Paulo: Best Seller, 1999.

SAQUET, M. A. O desenvolvimento numa perspectiva territorial, multidimensional e democrática. RESGATE, v.19, n. 21, p. 5-15, jan./ jun. 2011.

SILVA, A. A. et al. A Utilização da Matriz Swot como Ferramenta Estratégica: um Estudo de Caso em uma Escola de Idioma de São Paulo. VIII Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, Resende/RJ, ABEPRO/AEDB, 2014. Disponível em: https://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos11/26714255.pdf. Acesso em 10/09/2019.

SILVA, L. T da. Política de educação e território: A expansão dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia no Brasil e suas escalas de ação. In: Congresso Brasileiro de Geografia Política, Geopolítica e Gestão do Território, 2011, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: REBRAGEO, 2014, p. 654-665.

SOUZA, F. das C. S.; SILVA, S. H. dos S. C e. Institutos Federais: Expansão, perspectivas e desafios. Revista ensino interdisciplinar, Mossoró, v. 2, n. 05, p. 17 -25, julho. 2016.

PIRES, E. L. S. As lógicas territoriais do desenvolvimento: diversidade e regulação. Interações, Campo Grande, UCDB, v. 8, n. 2, p. 155-163, Set. 2007.

PLATAFORMA NILO PEÇANHA. Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. SETEC/MEC, 2019. Disponível em: http://plataformanilopecanha.mec.gov.br/. Acesso em: 01/04/2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Revista Brasileira de Iniciação Científica, Itapetininga, SP, Brasil, ISSN: 2359-232X

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.