Monitoria indígena: dispositivo de permanência acadêmica no ensino superior

Lenice Bento de Oliveira, Rosane Brum Mello, Sílvia Maria de Oliveira Pavão

Resumo


Este estudo tem por objetivo geral discutir os processos de permanência dos estudantes indígenas no ensino superior. O método de investigação se caracteriza pela abordagem exploratória documental. Os resultados apontam a monitoria indígena como um processo que tem por base o reconhecimento do direito à diferença, colaborando para a efetivação dos processos inclusivos na educação superior. Em conclusão, o trabalho demonstra que a estrutura acadêmica universitária pode ser repensada em prol de uma educação intercultural.


Palavras-chave


Monitoria Indígena; Interculturalidade; Permanência; Inclusão

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Decreto nº 5.051, de 19 de abril de 2004. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Promulga a Convenção no 169 da Organização Internacional do Trabalho - OIT sobre Povos Indígenas e Tribais. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5051.htm Acesso em: 28 jun. 2019.

BRASIL. Lei 12.711/2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/Lei/L12711.htm Acesso em: 08 fev. 2019

BRASIL. Ministério da Educação-MEC. Portaria nº 389, de 9 de maio de 2013. Cria o Programa de Bolsa Permanência e dá outras providências. Diário oficial da União, Brasília, 13 de maio 2013. Seção 1, p. 12.

CANDAU, V. M. "Sociedade multicultural e educação: tendências e desafios". In: CANDAU, V.M. (org.). Cultura (s) e educação: entre o crítico e o pós-crítico. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

CANDAU, V. M. Didática Crítica Intercultural: aproximações. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

DUSCHATZKY, S.; SKLIAR, C. O nome dos outros. Narrando a alteridade na cultura e na educação. In: LARROSA, J.; SKLIAR, C. (orgs.) Habitantes de babel: políticas e poesias da diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. p. 119-137.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

MINAYO, M. C. de S. (org.) et al. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 19a. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

SANTOS, B. de S. Reconhecer para libertar: os caminhos do cosmopolitismo multicultural. Rio de Janeiro: civilização Brasileira, 2003.

SANTOS, B. de S. A universidade do Século XXI: Para uma reforma democrática e emancipatória da Universidade. São Paulo: Cortez, 2a. ed., 2008.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. Ministério da Educação. Programa de Ações Afirmativas de Inclusão Racial e Social: Resolução 011/07. Santa Maria, 2007. Disponível em: https://www.ufsm.br/orgaos-executivos/caed/wp-content/uploads/sites/391/2018/10/Resolu%C3%A7%C3%A3o_011-07.pdf Acesso em: 08 fev. 2019.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. Ministério da Educação. Aprova a criação da Coordenadoria de Ações Educacionais da UFSM como órgão executivo da administração superior diretamente subordinada ao Gabinete do Reitor e institui seu regulamento interno: Resolução N°. 019/16. Santa Maria, 2016. Disponível em: https://www.ufsm.br/orgaosexecutivos/caed/wpcontent/uploads/sites/391/2018/0/Resolu%C3%A7%C3%A3o__019-2016_CAED.pdf Acesso em: 08 fev. 2019.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. Ações Educacionais da UFSM, Órgão Executivo da Administração Superior: Resolução N. 030/17. Santa Maria, 2017. Disponível em:https://www.ufsm.br/orgaosexecutivos/caed/wp-content/uploads/sites/391/2018/10/Resolu%C3%A7%C3%A3o_030-2017-UFSM.pdf Acesso em: 08 fev. 2019.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. Ministério da Educação. Regula as formas de ingresso aos Cursos de Graduação e Ações Afirmativas correlatas da Universidade Federal de Santa Maria e revoga a resolução n. 011/07, Resolução N. 002/18 . Santa Maria, 2018. https://portal.ufsm.br/documentos/download.html?action=arquivoIndexado&download=false&id=242103. Acesso em: 08 fev. 2019.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. Coordenadoria de Ações Educacionais. Núcleo de Ações Afirmativas Sociais, Étnico-Raciais e Indígenas Núcleo de Ações Afirmativas Sociais, Étnico-Raciais e Indígenas Relatório do Núcleo de Ações Afirmativas Sociais, Étnico-Raciais e Indígenas, 2018 a. Santa Maria-RS. Disponível em: https://www.ufsm.br/orgaos-executivos/caed/wp-content/uploads/sites/391/2019/06/RELAT%C3%93RIO-ANUAL-2018-.pdf Acesso em: 27 jun. 2019


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Revista Brasileira de Iniciação Científica, Itapetininga, SP, Brasil, ISSN: 2359-232X

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.