Índice de desempenho ambiental (IDA): avaliação do desempenho ambiental dos portos brasileiros

Letícia Caroline Soares da Silva, Denise Helena Lombardo Ferreira

Resumo


Esta pesquisa teve como objetivo avaliar a evolução do desempenho ambiental dos portos brasileiros e investigar as diferenças significativas entre as médias do Índice de Desempenho Ambiental (IDA) desses portos entre o segundo semestre de 2012 até o primeiro semestre de 2016. Para tanto, realizou-se quatro rodadas de avaliações das médias obtidas do IDA utilizando-se o programa Sisvar® para testes de Tukey para comparação de médias. Como resultados obtidos pode-se afirmar uma tendência de crescimento do IDA médio entre os portos e, quando se compara as regiões Sul e Sudeste com a Norte e a Nordeste, observa-se que as regiões Sul e Sudeste apresentam IDA médio significativamente superiores.


Palavras-chave


Índice de Desempenho Ambiental. Sisvar®. Teste de Tukey

Texto completo:

PDF

Referências


Anjos, A. dos. Capítulo 7: Análise de Variância. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2019.

ANTAQ – Agência Nacional de Transportes Aquaviários. Gestão ambiental. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2019. 2019a.

ANTAQ – Agência Nacional de Transportes Aquaviários. O Índice de Desempenho Ambiental – IDA. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2019. 2019b.

ANTAQ – Agência Nacional de Transportes Aquaviários. Ranking IDA. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2019. 2019c.

ANTAQ – Agência Nacional de Transportes Aquaviários. Meio Ambiente - Os impactos ambientais. 2018. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2018.

ANTAQ – Agência Nacional de Transportes Aquaviários. Anuário 2017. 2017. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2019.

BRASIL. Lei n° 10.233, de 05 de junho de 2001. Dispõe sobre a reestruturação dos transportes aquaviário e terrestre, cria o Conselho Nacional de Integração de Políticas de Transporte, a Agência Nacional de Transportes Terrestres, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários e o Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 06 jun. 2001. Seção 1, p. 1.

BRASIL. Resolução ANTAQ n° 2.650, de 26 de setembro de 2012. Aprova os instrumentos de acompanhamento e controle de gestão ambiental em instalações portuárias. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 27 set. 2012. Seção 1, p. 98.

COLLYER, W. O. Lei dos portos: o conselho de autoridade portuária e a busca da eficiência. São Paulo: Lex Editora, 2008.

FERREIRA, D. F. SISVAR: um programa para análises e ensino de estatística. Revista Científica Symposium, Lavras, v. 6, n. 2, p. 36-41, 2008.

KITZMANN, D. I. S.; ASMUS, M. L. Gestão ambiental portuária: desafios e possibilidades. Revista de Administração Pública, v. 40, n. 6, p. 1041-1060, 2006.

LEVINE, D. M.; BERENSON, M. L.; STEPHAN, D. Estatística: Teoria e Aplicações. Tradução de Teresa Cristina Padilha de Souza. Rio de Janeiro: LTC, 2000.

MARCHETTI, D. dos S.; PASTORI, A. Dimensionamento do Potencial de Investimentos do Setor Ferroviário. Rio de Janeiro, RJ: BNDES, 2006. Disponível em: . Acesso em: 04 fev. 2019.

MATOS, R. de. Política e negócios em São Paulo: da abertura dos portos à Independência (1808/1822). 2015. 311 f. Dissertação (Doutorado em História) – Programa de Pós-Graduação em História Social, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2015.

ROCHA, C. H.; SILVA, G. L. da; ABREU, L. M. de. Análise da evolução do desempenho ambiental nos portos brasileiros. In: CONGRESSO NACIONAL DE PESQUISA EM TRANSPORTE DA ANPET, 31, 2017, Recife.

RODRIGUES, J. C. O índice de desempenho ambiental dos portos brasileiros: panorama e análise crítica. Terceiro Incluído, Goiânia - GO, v. 4, n. 1, p. 64-65, 2014.

SILVA, V. G. Sustentabilidade em portos marítimos organizados no Brasil: discussão para implantação de um sistema de indicadores de desempenho ambiental. 2014. 105 f. Dissertação (Mestrado em Planejamento Energético) – Programa de Pós-graduação em Planejamento Energético, COPPE, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2014.

SINELLI, M. Um porto livre de amarras. Revista Custo Brasil, ano 5, n. 27, p. 31-35, 2010.

SOUSA JÚNIOR, J. N. C de; NOBRE JUNIOR, E. F.; PRATA, B. de A; MELLO, J. C. C. B. S. de. Avaliação da eficiência dos portos utilizando análise envoltória de dados: um estudo de caso dos portos da região nordeste. Journal of Transport Literature, v. 7, n. 4, p. 75-106, 2013.

UNDERMAN, S.; ROCHA, C. H.; CAVALCANTE, L. R. Modernização do sistema portuário no Brasil: uma proposta metodológica. Journal of Transport Literature, v. 6, n. 1, p. 221-240, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Revista Brasileira de Iniciação Científica, Itapetininga, SP, Brasil, ISSN: 2359-232X

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.