Capacidade antifúngica do extrato vegetal de ruta graveolens sobre o desenvolvimento dos fungos apodrecedores gloeophylum trabeum e pycnoporus sanguineus

Alessandra Simon Hüller, Elio José Santini, Maiara Talgatti, Amanda Grassmann da Silveira, Guilherme Valcorte, Laura Hoffmann de Oliveira, Milene Goulart Estigarribia

Resumo


Metabólitos secundários de vegetais são compostos orgânicos produzidos pela própria planta como um mecanismo de sobrevivência as adversidades impostas pelo ambiente, essas substâncias podem apresentar poder taxológico, tornando-se uma alternativa para o controle de patógenos.  Ruta graveolens L. conhecida como arruda, apresenta propriedades medicinais ao mesmo tempo que é descrita como perigosa por sua toxidez quando utilizada em altas dosagens. Desta forma, objetivou-se avaliar a capacidade antifúngica do extrato vegetal de Ruta graveolens sobre o desenvolvimento dos fungos apodrecedores Gloeophylum trabeum e Pycnoporus sanguineus. Como resultado observou-se que o tratamento com 100% de ambas as concentrações apresentou valores de crescimento inferiores aos demais, diferenciando-se estatisticamente. Sendo assim, o extrato aquoso de arruda mostrou-se eficiente à inibição do crescimento micelial dos fungos.


Palavras-chave


Potencial antifúngico; Métodos alternativos; Crescimento micelial

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES M. V. S.; Costa A. F.; Espig D. S.; Vale A. T. Resistência natural de seis espécies de madeiras da região amazônica a fungos apodrecedores, em ensaios de laboratório. Ciência Florestal 2006; 16 (1): 17-26.

ARAÚJO, L. V.; RODRIGUEZ, L. C. E.; PAES, J. B. Característricas físico-químicas e energéticas da madeira de nim indiano. Scientia Forestalis, n. 57, p. 153-159, jun. 2000.

BARILLARI, C.T. Durabilidade da madeira do gênero Pinus tratada com preservantes: avaliação em campo de apodrecimento. 68 f. Dissertação (Mestrado em Recursos Florestais) – Esalq USP – Piracicaba, 2002.

BARREAL J. A. R. Patología de la madera . Madri: Fundação Conde Del Valle de Salazar, Ediciones Mundi-Prensa; 1998.

BONONI V. R.; Capelari M.; Maziero R.; Trufeem S. F. B. Cultivo de cogumelos comestíveis. Ícone. São Paulo, 1999, 206 p.

BOSE SR. Antibiotics in a Polyporus (Polystictus sanguineus). Nature 1946:158, 292-296.

CELOTO, M. I. B.; PAPA, M. F. S.; SACRAMENTO, L. V. S.; CELOTO, F. J. Atividade antifúngica de extratos de plantas a Colletotrichum gloeosporioides. Acta Scientiarum. Agronomy, Maringá, v. 30, n. 1, p. 1-5, 2008.

EIKENES, M.; ALFREDSEN, G.; CHRISTENSEN, B. E.; MILITZ, H.; SOLHEIM, H. Comparasion of chitosans with different molecular weights as possible wood preservatives. Jounal Wood Science, n. 51, p. 387-394, 2005.

ESPOSITO, E.; INNOCENTINI-MEI, L. H.; FERRAZ, A.; CANHOS, V. P.; DURAN, N. Phenoloxidases and hidrolases from Pycnoporus sanguineus (EUC-2050 strain): applications. Journal of Biotechnology, New York, v. 29, p. 219-228, 1993.

FLORIAN, A. Preservativos de madeira e suas características. Brasília, 2011.

FRENCH, R. C. Volatile chemical germination stimulators of rust and other fungal spores. Mycologia v. 84, p. 277 - 288, 1992.

GARCIA, T. A. Purificação e caracterização das lacases de Pycnoporus sanguineus. 2006. 126p. Tese (Doutorado em Biologia Molecular) - Universidade de Brasília, Brasília, 2006.

GOKTAS, O.; MAMMADOV, R.; DURU, M. E.; OZEN, E. A research on the usage of extracts from a poisonous plant (Ornithogalum alpigenum Spapf) as a wood preservative. Abstracts / Journal of Biotechnology, n. 136S, p. S672, 2008.

GONZAGA, A. L. Madeira: uso e conservação. Brasília, DF: IPHAN / MONUMENTA. 246 p., 2006.

LEPAGE, E. S. Manual de preservação de madeiras. São Paulo: IPT, 1986. v. 1. 342p.

LOPES, L. Q.; SANTOS, S. O. Tratamento preservativo de madeiras (Monografia). Faculdade de Pindamonhangaba. Pindamonhangaba. São Paulo.2012.

MACHADO, G. O.; CALIL JÚNIOR., C.; POLITO, W.; PAWLICKA, A. Preservante natural de madeira para uso na construção civil – óleo de neem. Minerva, v. 3, n.1, p. 1-8, jan./jun. 2006.

MORESCHI, J. C. BIODEGRADAÇÃO E PRESERVAÇÃO DA MADEIRA – Biodegradação da madeira. Departamento de Engenharia e Tecnologia Florestal da UFPR. 4ª Ed. Volume I. Abril de 2013.

NASCIMENTO, J. M.; SERRA, A. P.; BACCHI, L. M.; GAVASSONI, W. L.; VIEIRA, M. C. Inibição do crescimento micelial de Cercospora calendulae Sacc. por extratos de plantas medicinais. Rev. Brasileira de plantas medicinais, vol. 15, n. 4, p.751-756, 2013.

NEVES, B. P.; OLIVEIRA, I. P.; NOGUEIRA, J. C. M. Cultivo e utilização do nim indiano. Circular Técnica – Embrapa, n. 62, Santo Antônio de Goiás/GO, dez. 2003.

OLIVA, A.; LAHOZ, E.; CONTILLO, R.; ALIOTTA, G. Fungistatic activity of Ruta graveolens extract and its allelochemicals. Journal of chemical ecology, v. 25, n. 3, p. 519 - 526., 1999.

OLIVEIRA A. M. F. Agentes destruidores da madeira. Em: Lepage ES, editor. Manual de preservação de madeiras . São Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnológicas; 1986.

PAES, J. B.; DE SOUZA, A. D.; DE LIMA, C. R.; NETO, P. N. de M. Eficiência dos óleos de nim e mamona contra cupins xilófagos em ensaio de alimentação forçada. Cerne, Lavras, v.16, n.1, p. 105-113, jan./mar. 2010.

PAES, J. B.; DINIZ, C. E. F.; MARINHO, I. V.; LIMA, C. R. Avaliação do potencial tanífero de seis espécies florestais de ocorrência no semi-árido brasileiro. Cerne, Lavras, v.13, n.2, p. 160-169, abr./jun. 2007.

PAES, J. B.; MORESCHI, J. C.; J. G. LELLES. Avaliação do tratamento preservativo de moirões de Eucalyptus viminalis Lab. e de bracatinga (Mimosa scabrella Benth.) pelo método de substituição de seiva. Ciência Florestal, v.15, n.1, p. 75-86. 2005.

PUTZKE J.; Putzke M. T. L. Os Reinos dos Fungos. 2ªed. v.1. Ed. Edunisc, Santa Cruz do Sul, 2004. 605p.

RAHHAL, M. M. H.; ISMAIL, I. A.; RAHMOU, A. A. Efficacy of repeated spray of neem oil for control of gray mold disease of lentil plants caused by Botrytis cinerea and on some of the chemical components of lentil seeds. Journal of Pest Control and Environmental Sciences, v. 15, n. 1 p. 43-67, 2007.

RODRIGUES, E.; SCHWAN-ESTRADA, K. R. F.; STANGARLIN, J. R.; CRUZ, M. E. S.; FIORI-TUTIDA, A. C. G. Avaliação da atividade antifúngica de extratos de gengibre e eucalipto in vitro e em fibras de bananeira infectadas com Helminthosporium sp. Acta Scientiarum, Maringá, v. 28, n. 1, p.123 - 127, 2006.

RODRIGUES, M.; PAIVA, R.; NOGUEIRA, R. C.; MARTINOTTO, C.; SILVA JR, J. M. Morfogênese in vitro de nim a partir de explantes cotiledonares. Revista Árvore, Viçosa, v. 33, n. 1, p. 21-26, 2009.

SALMAN, H. A., VENKATESH, S., SENTHILKUMAR, R., KUMAR, B. G., & ALI, A. M. Determination of antibacterial activity and metabolite profile of Ruta graveolens against Streptococcus mutans and Streptococcus sobrinus. Journal of laboratory physicians, v. 10, n. 3, p. 320, 2018.

SATTOLO, N. M. S.; BRITTO, D. de; ASSIS, O. B. G. Quitosana como fungicida em madeiras Pinus sp. empregadas na confecção de caixas “K”. Brazilian Journal of Food Technology, v. 13, n. 2, p. 128-132, abr./jun. 2010.

SBEGHEN, A. C. Potencialidades de utilização de óleos essenciais de plantas aromáticas para controle de Cryptotermes brevis. 2001. 80 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, 2001.

SIEVERS N.; Bertsch E.; Fischer R. Isolation of nuclear migration mutants of Aspergillus nidulans using GFP expressing strains. Mycological Research 1999; 103(8): 961-6.

SINGH, T.; VESENTINI, D.; SINGH, A. P.; DANIEL, G. Effect of chitosan on physiological, morphological, and ultrastructural characteristics of wood-degrading fungi. International Biodeterioration & Biodegradation, n. 62, p. 116-124, 2008.

STANGARLIN, J. R.; SCHWAN-ESTRADA, K. R. F.; CRUZ, M. E. S.; NOZAKI, M. H. Plantas medicinais e controle alternativo de fitopatógenos. Biotecnologia Ciência & Desenvolvimento, Brasília, v. 2, n. 11, p. 16 - 21, 1999.

TEIXEIRA H.; Chitarra L. G.; Arias S. M. S.; Machado J. C. Efeito de diferentes fontes de luz no crescimento e esporulação in vitro de fungos fitopatogênicos. Ciência Agrotécnica 2001; 25 (6): 1314-1320.

TEIXEIRA, D. E.; COSTA, A. F.; SANTANA, M. A. Aglomerados de bagaço de cana-de-açúcar: resistência natural ao ataque de fungos apodrecedores. Scientia Florestalis, Piracicaba, v. 52, p. 29-34, 1997.

TRABULSI L.R.; Altherthum F. Microbiologia. 4.ed. Atheneu, São Paulo. 2005. 718p.

TREU, A.; LARNOY, E.; MILITZ, H. Leaching of new environmental friendly wood protection agents. In: BERGSTEDT, A. Proceedings of the 5th meeting of the NordicBaltic Network in Wood Material Science and Engineering. Copenhagen: Denmark, 2009. n. 43, p. 33-40.

TREU, A.; MILITZ, E.; BREYNE, S. Royal-treatment-scientific background and practical application. In: CONFERENCE IN REINBEK, 22., 2001. Anais... Reinbek: University Göttingen, 2001.

UZAN E.; Portet B.; Lubrano C.; Milesi S.; Favel A.; Lesage-Meessen L.; Lomascolo A. Pycnoporus laccase-mediated bioconversion of rutin to oligomers suitable for biotechnology applications. Appl Microbiol Biotechnol 2011; 90(1): 97-105.

VENTUROSO, L. R. et al. Atividade antifúngica de extratos vegetais sobre o desenvolvimento de fitopatógenos. Summa Phytopathologica, São Paulo, v. 37, n. 1, p. 18-23, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Revista Brasileira de Iniciação Científica, Itapetininga, SP, Brasil, ISSN: 2359-232X

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.