Mapeamento do potencial solar fotovoltaico em telhados domiciliares de um município

Giovanna Silva Magoga, Patrícia Teixeira Leite, Diego Marcochi de Melo

Resumo


Este artigo apresenta um estudo sobre os conceitos de geração distribuída, desenvolvimento sustentável, sistemas de informações geográficas e mapeamento, e atividades práticas, a partir do uso de software livre e aberto, para auxiliar no mapeamento de área de telhados residenciais para que seja possível estimar o potencial de produção de energia elétrica nos telhados considerando variáveis socioeconômicas e demográficas inerentes ao consumo de energia elétrica pela população. Os bons resultados obtidos identificaram as necessidades, o que poderá auxiliar os agentes nas tomadas de decisões por parte dos atores do setor elétrico.


Palavras-chave


Geração Distribuída; Mapeamento; Sistema de Informações Geográficas; Potencial energético; Telhados residenciais

Texto completo:

PDF

Referências


ANEEL. Geração Distribuída: Micro e Minigeração Distribuídas. 2015. Disponível em: . Acessado em junho/2018.

ANEEL REN 482. Resolução Normativa nº 482, de 17 de abril de 2012. Estabelece as condições gerais para o acesso de microgeração e minigeração distribuída aos sistemas de distribuição de energia elétrica, o sistema de compensação de energia elétrica, e dá outras providências.

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DE ENERGÉTICOS POR MUNICÍPIO NO ESTADO DE SÃO PAULO - 2017 ANO BASE 2016. Secretaria de energia e mineração. 120 págs. - São Paulo, 2017.

ATLAS BRASILEIRO DE ENERGIA SOLAR. “LABREN (Laboratório de Modelagem e Estudos de Recursos Renováveis de Energia) /CCST (Centro de Ciência do Sistema Terrestre) / INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) – Brasil” 2.ed. São José dos Campos: INPE, 2017.

BIG - BANCO DE INFORMAÇÕES DE GERAÇÃO. Capacidade de Geração do Brasil. Disponível em: . Acessado em fevereiro/2019.

CARDOSO DE LIMA, G. S. Avaliação de locais com potencial para a implantação de geração distribuída sob a perspectiva do desenvolvimento sustentável. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Energia. Universidade Federal do ABC. Santo André, 2015.

CÂMARA, G., DAVIS, C., MONTEIRO, A. Introdução à Ciência da Geoinformação. INPE, São José dos Campos, INPE-10506-RPQ/249 2001.

Critério Brasil - ABEP. Disponível em .

FARINA, F. C., AYUP-ZOUAIN, R., SILVA, T. Análise do potencial energético renovável baseado em sistemas de informação geográfica: caso do litoral norte, RS. Revista de Ciências Ambientais. Canoas, v. 11, n. 1, 2017.

IBGE – Censo, 2016. Disponível em ftp.ibge.gov.br/Censos/Censo_Demografico_2010/Resultados_do_Universo/Agregados_por_Setores_Censitarios/. Acessado em novembro/2017.

IBGE – Município, 2016. Disponível em . Acessado em novembro/2017.

IBGE – Setores, 2016. Disponível em . Acessado em novembro/2017.

IPCC. 6º Relatório de Avaliação. 46° sessão do IPCC. Montreal, Canadá, 6 -10 Set/2017.

PACTO ENERGIA. Geração distribuída. 2018. Disponível em: . Acessado em junho/2018.

PEREIRA FILHO, W., AZEVEDO, A. Geração Distribuída: Vantagens e Desvantagens. 2º Simpósio de estudos e pesquisas em ciências ambientais na Amazônia. Belém, 2014.

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio - PNAD. Rio de Janeiro, v. 33, p.1-133, 2013. Disponível em https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/59/pnad_2013_v33_br.pdf/. Acessado em maio/2018.

RAMPINELLI, G. A., SCARDUELI, C. Desenvolvimento de metodologia para mapeamento da estimativa de geração distribuída com sistemas fotovoltaicos em áreas urbanas. Revista Brasileira de Energias Renováveis. v.4, p. 106- 124, 2016.

SANTOS, F.A., SANTOS, F. M. Geração distribuída versus centralizada. m, 2008.

VILLAVICENCIO, J. Análise espacial do potencial fotovoltaico em telhados de residências usando modelagem hierárquica bayesiana. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica – Área: Automação. Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita. Ilha Solteira, 2016.

WIGINTON, L. K., NGUYEN, H. T., PEARCE, J.M. Quantificação do potencial solar fotovoltaico de telhados para a política regional de energia renovável. Elsevier: Computers, Environment and Urban Systems 34, págs. 345–357, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Revista Brasileira de Iniciação Científica, Itapetininga, SP, Brasil, ISSN: 2359-232X

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.