Identidade e o sentido do trabalho em comunidade autossustentável

Bianca Batista da Rocha, José Francisco Greco Martins

Resumo


Partindo do pressuposto que a forma da divisão técnica do trabalho na sociedade capitalista moderna tem contribuído para transformar o trabalhador em uma mera mercadoria cuja força de trabalho é comprada e vendida no mercado. A presente pesquisa investigou a partir da revisão bibliográfica sistemática e do emprego da metodologia da história de vida, se uma comunidade autossustentável apresenta possibilidades de reorganizar a identidade supostamente fragmentada e fragilizada? E quais motivos têm levado as pessoas a aderirem ao modo de vida experimentada em uma comunidade autossustentável? O processo de trabalho visto na comunidade autossustentável estudada confere uma identidade de sujeitos que buscam superar os pressupostos do cenário social que nasceram e se desenvolveram.

Palavras-chave


Comunidade Autossustentável; Identidade; Sentidos do trabalho; Ecovila

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, Ricardo. Os Sentidos do Trabalho: Ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. 6° reimpressão. São Paulo. Ed. Boitempo, 2003.

CASTELLS, Manuel. O poder da Identidade. 5ª ed. Vol2, São Paulo. Editora Paz e Terra. 2006

CIAMPA, Antônio da Costa. Identidade. In: W. Codo & S. T. M Lane (Orgs.) Psicologia social: O homem em movimento (pp. 58-75), São Paulo: Brasiliense, 1984.

DEJOURS, Christophe. A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho. São Paulo: Cortez Ed., 1987

GEN. GLOBAL ECOVILLAGE NETWORK 2014. Disponível em: . Acesso em 18 mar 201

GILMAN, Robert. Eco-Villages and Sustainable Communities. Washington, USA: Context Institute, 1991.

LANE, S. T. M. O que é psicologia social (4 ed), São Paulo: Brasiliense. 1983.

MARX, Karl. Primeiro Manuscritos econômico-filosóficos, trabalho alienado, ago. 1844, disponível em: https://www.marxists.org/portugues/marx/1844/manuscritos/

cap01. Acessado em 15 Dez 2016.

MARTINS, José F. G. Experiências dos Trabalhadores nos Processos Participativos: (Re)Significações da subjetividade e do trabalho. Dissertação. Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, Departamento de Sociologia – USP, São Paulo, 2001.

SATO, L. Trabalho: sofrer? Construir? Resistir?. Psicologia em Revista. v. 15, n. 3, p. 189-199, ago. 2009

TOMAZI, Nelson Dacio. Sociologia para o ensino médio, 2ª ed. São Paulo: Editora Saraiva 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Revista Brasileira de Iniciação Científica, Itapetininga, SP, Brasil, ISSN: 2359-232X

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.