O papel do estado nas transformações nas narrativas da nação no Uruguai: as afro-reparações

Silvia Thais Corrêa Cezar Gonsalves Rosa, Waldemir Rosa

Resumo


O presente artigo busca traçar uma interpretação das principais transformações ocorridas na narrativa sobre a Nação uruguaia a partir da implementação das políticas para os afro-uruguaios. Nesse sentido, aborda-se as temáticas relacionadas à identidade política, Estado, políticas públicas, ações afro-reparatórias e narrativas nacionais do Uruguai, que foram analisadas a partir de informações coletadas em materiais bibliográficos como artigos, livros e documentos sobre tais temas.


Palavras-chave


Uruguai; Afro-uruguaios; Narrativas; Políticas Afro-reparatórias

Texto completo:

PDF

Referências


ANDREWS, G. R. Negros en la nación blanca: historia de los afro-uruguayos, 1830-2010. Liberaria Linardi y Risso, Montevideo, 2010.

BHABHA, Homi. K. Disseminação: o tempo, a narrativa e as margens da nação moderna. In_____.O Local da Cultura. Belo Horizonte, Ed. UFMG, 2007.

CHATTERJEE, Partha. A Nação em Tempo Heterogêneo. in____. Colonialismo, Modernidade e Política. Salvador. Ed UFBA. 2004.

FERREIRA, Luis. El Movimiento Negro em Uruguay (1988-1998): una versión posible. Montevideo. Ediciones Etnicas- Mundo Afro, 2003. Disponível em http://biblioteca.clacso.edu.ar/clacso/sur-sur/20100625071812/movneg.pdf

HALL, Stuart. Identidade Cultural na Pós-Modernidade. Rio de Janeiro. PP&A Editora. 2005.

LÓPEZ, L. C. “Que América Latina se sincere”: uma análise antropológica das políticas e poéticas do ativismo negro em face às ações afirmativas e às reparações no Cone Sul. Tese (Doutorado em Antropologia Social). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

MALIK, Kenan. The Meaning of Race: race, history and cultural in western society. Nova York. New York University Press. 1996.

OLAZA, Mónica. Afrodescendientes en Uruguay: debates sobre políticas de acción afirmativas. Montevideo. Doble Clic Editoras. 2017.

SEGATO, Rita L. Alteridades Históricas/Identidades políticas: una crítica a las certezas del pluralismo global. Brasília, Dep. de Antropologia UnB. (Série Antropologia nº 234). 1998.

SEGATO, Rita L. Raça é Signo. Brasília, Dep. de Antropologia UnB. (Série Antropologia nº 372). 2005.

URUGUAY. Ministério de Educação e Cultura. Plan Nacional de Educación en Derechos Humanos: República Oriental del Uruguay, 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Revista Brasileira de Iniciação Científica, Itapetininga, SP, Brasil, ISSN: 2359-232X

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.