A ARTE COMO FORMA DE GUERRILHA: PROJETO MORTOS POLÍTICOS

Giulia Luppi Sala, Guilherme Nakashato

Resumo


A ditadura civil-militar brasileira marcou a história do país, tendo durado mais de vinte anos e ainda hoje sua repercussão é sentida dos aspectos econômicos até questões políticas, artísticas e ideológicas. Cildo Meireles, artista visual brasileiro que participou do cenário cultural da época, contestava a realidade social e exercia o que podemos denominar de “guerrilha artística” contra a ditadura. O presente artigo analisa o período histórico citado e também produções artísticas de Meireles, além de descrever o processo de pesquisa e produção artística pessoal proposta pelo projeto de Iniciação Cientifica, produção que dialoga com a ditadura militar, o artista estudado e o contexto sócio-político atual.


Palavras-chave


Cildo Meireles. Arte política. Ditadura Militar. Guerrilha artística

Referências


AMARAL, Aracy. Arte para quê? A preocupação social na arte brasileira 1930-1970. São Paulo: Nobel , 1987.

ARCHER, Michael. Arte contemporânea: uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

ARTE CONCEITUAL. In: Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: . Acesso em: 08 de nov. 2017. Verbete da Enciclopédia.

CANTON, Katia. Novíssima arte brasileira: um guia de tendências. São Paulo: Iluminuras, 2001.

COMISSÃO DA VERDADE DO ESTADO DE SÃO PAULO - RUBENS PAIVA. Mortos e desaparecidos. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2018.

FAUSTO, Boris. História do Brasil. 2ª ed. São Paulo: Edusp, 1995.

FGV CPDOC. Anos de incerteza (1930 - 1937) Lei de Segurança Nacional. Disponível em: . Acesso em: 17 dez. 2018.

FREITAS, Artur. Arte de Guerrilha. 1ª ed. São Paulo: Edusp, 2013.

GASPARI, Elio. A ditadura escancarada: As ilusões armadas. vol. 2. São Paulo: Intrínseca, 2014.

MATOS, Diego; WASNIK, Guilherme. Cildo estudos, espaços, tempo. 1 ed. São Paulo: UBU, 2017. 295 p.

MBL. MBL. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2018.

MEMORIAS DA DITADURA. Repressão. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2018.

MEMÓRIAS DA DITADURA. Albert Hening Boilesen. Disponível em: . Acesso em: 17 dez. 2018.

MORAIS, Frederico. Contra a arte afluente: o corpo é o motor da “obra”. Revista de Cultura Vozes, Rio de Janeiro, nº 01, jan/fev. 1970.

NEOCONCRETISMO. In: Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: . Acesso em: 08 de nov. 2017. Verbete da Enciclopédia.

OBRIST, Hans Urich. Arte agora! Em 5 entrevistas. São Paulo: Alameda, 2006.

QUEMIN, Alain. O valor da obra de arte. São Paulo: Metalivros, 2014.

ROSSI, Amanda. Congresso aprova decreto de intervenção federal no Rio de Janeiro; entenda o que a medida significa. BBC Brasil, São Paulo, 21 de fevereiro, News Brasil. Disponível em: < https://www.bbc.com/portuguese/brasil-43079114>. Acesso em: 01 de mar. 2018

SCOVINO, Felipe. Encontros: Cildo Meireles. Rio de Janeiro: Azougue, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Revista Brasileira de Iniciação Científica, Itapetininga, SP, Brasil, ISSN: 2359-232X

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.