Estudo da degradação de dipirona sódica comercial por meio de luz ultravioleta e visível

Guilherme Isquibola, Emanuel Carlos Rodrigues

Resumo


A dipirona sódica é um dos fármacos analgésico e antitérmico mais vendido no Brasil. Diante dessa realidade, pode ocorrer o descarte inadequado do medicamento que não foi utilizado ou que ficou fora do prazo de validade, em lixos ou esgoto domésticos, o que pode comprometer os recursos naturais. O uso de luz ultravioleta e visível (UV/Vis) pode promover a degradação da molécula de dipirona sódica. Este trabalho teve como objetivo irradiar soluções aquosas de dipirona sódica comercial com luz UV/Vis em diferentes condições de potencial hidrogeniônico (pH) e verificar a degradação do fármaco.


Palavras-chave


Fármaco; Dipirona; Fotólise; Luz UV/Vis

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (ANVISA). Resolução nº 33 de 25 de fevereiro de 2003. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Brasília: ANVISA, 2003.

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (ANVISA). Anuário estatístico do mercado farmacêutico 2017. Brasília: ANVISA, 2018.

AQUINO, S. F.; BRANDT, E. M. F.; CHERNICHARO, C. A. L. Remoção de fármacos e desreguladores endócrinos em estações de tratamento de esgoto: revisão da literatura. Eng. Sanit. Ambient. v. 18, n. 3, 2013.

ALVARENGA, L. S. V.; NICOLETTI, M. A. Descarte doméstico de medicamentos e algumas considerações sobre o impacto ambiental decorrente. Revista Saúde. Guarulhos, v. 4, n. 3, p. 34-39, 2010.

BENSEÑOR, I. M. To use or not to use dipyrone? Or maybe, Central Station versus ER? That is the question… São Paulo Medical Journal. v. 119, n. 6, 2001.

BRASIL A. Farmacopeia Brasileira. Brasília: Fundação Oswaldo Cruz, v.2, 5.ed., p. 912-913, 2010.

BRASIL B. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Decreto nº 7404 de 23 dezembro de 2010. Regulamenta a Lei no 12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, cria o Comitê Interministerial da Política Nacional de Resíduos Sólidos e o Comitê Orientador para a Implantação dos Sistemas de Logística Reversa, e dá outras providências. Brasília, DF: 2010.

DIOGO, A. N. M. Dipirona: Segurança do uso e monitoramento da qualidade de comprimidos orais. 2003. 61 f. Dissertação (Pós-graduação em vigilância sanitária). Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2003.

EICKHOFF, P.; HEINECK, I.; SEIXAS, L. J. Gerenciamento e destinação final de medicamentos: uma discussão sobre o problema. Revista Brasileira de Farmácia. v. 90, n.1, p. 64-68, 2009.

ESTRADA, L. A. P. Degradación fotoquímica de contaminantes emergentes mediante procesos solares. Evaluación analítica. 2008, 222f. Tese (doutorado em Ciências Químicas) – Universidad de Almería, Espanha, 2008.

FENG, J.; HU, X.; YUE, P. L.; ZHU, H. Y.; LU, G. Q. Discoloration and mineralization of Reactive Red HE-3B by heterogeneous photo-Fenton reaction. Water Research. v. 37, 2003.

FOCANT, J. F.; PAUW, E. Las dioxinas. Mundo científico. n. 206, 1999.

FRAGOSO, Y. D.; FONSECA, P. L.; FORTINGUERRA, M. B.; COMINATO, L.; MATTE, G. O.; OLIVEIRA, C. M. Management of primary headache in emergency services of Santos and surrounding towns. São Paulo Medical Journal, v. 2, n. 116, 1998.

GASPARINI, J. C.; GASPARINI, A. R.; FRIGIERI, M. C. Estudo do descarte de medicamentos e consciência ambiental no município de Catanduva-SP. Ciência & Tecnologia: FATEC-JB, v.2, n. 1, p. 38-51, 2011.

HABEKOST, A. The Analgesic Metamizole (Dipyrone) and Its Related Products Antipyrine, 4-Aminoantipyrine and 4-Methylaminoantipyrine. Part 1: Mass Spectrometric and Electrochemical Detection. World Journal of Chemical Education, v. 6, n. 3, p. 134-144, 2018.

HOPPE, T.R.G.; ARAÚJO, L. E. B. Contaminação do meio ambiente pelo descarte inadequado de medicamentos vencidos ou não utilizados. Monografias Ambientais, v.6, n.6, 2012.

JOÃO, W. S. J. Descarte de medicamentos. Pharmacia Brasileira, n.82, 2011.

LAMEIRA, V. Estudo dos efeitos ecotoxicológicos dos fármacos paracetamol e dipirona sódica para organismos aquáticos. 2012, 266f. Tese (doutorado em Ciências na área de tecnologia nuclear) – Autarquia Associada a Universidade de São Paulo, 2012.

MALATO, S.; FERNÁNDEZ-IBÁÑEZ, P.; MALDONADO, M. I.; BLANCO, J.; GERNJAK, W. Decontamination and disinfection of water by solar photocatalysis: Recent overview and trends. Catalysis Today. v.149, p. 1-59, 2009.

MARCOLINO JR, L. H.; BONIFÁCIO, V. G.; FATIBELLO FILHO, O. Determinação turbidimétrica de dipirona em fluxo utilizando um reator contendo cloreto de prata imobilizado em resina poliéster. Química Nova. Brasil, v. 28, n. 5, 2005.

MAZZER, C.; CAVALCANTI, O. A. Introdução à gestão ambiental de resíduos. Infarma. v.16, n. 11-12, 2004.

MELO, S. A. S.; TROVÓ, A. G.; BAUTITZ, I. R.; NOGUEIRA, R. F. P. Degradação de fármacos residuais por processos oxidativos avançados. Química nova. v. 32, n. 1, p. 188-197, 2009.

MORIWAKI, C.; BRESCANSIN, E. G.; HIOKA, N.; MAIONCHI, F.; MATIOLI, G. Estudo da degradação do fármaco Nabumetona por fotólise direta. Acta Scientiarum. Maringá, v. 23, n. 3, p. 651-654, 2001.

NASCIMENTO, A. P. Desenvolvimento e validação de metodologia para medicamentos contendo dipirona sódica e cloridrato de papaverina isolados e em associação. 2005. 155 f. Tese (Doutorado em Ciências Farmacêuticas) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

PEREIRA, A. V.; PENCKOWSKI, L.; VOSGERAU, M.; SASSÁ, M. F. Determinação espectrofotométrica de dipirona em produtos farmacêuticos por injeção em fluxo pela geração de íons triiodeto. Química Nova. Brasil, v. 25, n. 4, p. 553-557, 2002.

PITARELLO, A. P.; LINDINO, C. A.; SILVA, C.; FERRI, E. A. V.; SOUZA, M. L.; BARICCATTI, R. A. Estudo fotoquímico da dipirona na presença de β e γ ciclodextrina. Acta Scientiarum. Health Sciences. v. 27, n. 2, 2005.

UEDA, J.; TAVERNARO, R.; MAROSTEGA, V.; PAVAN, W. Impacto ambiental do descarte de fármacos e estudo da conscientização da população a respeito do problema. Revista ciências do ambiente on-line. v. 5, n. 1, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Revista Brasileira de Iniciação Científica, Itapetininga, SP, Brasil, ISSN: 2359-232X

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.