A escola profissional do Alecrim (década de 1920)

Marcelly Kathleen Pereira Lucas, Karla Katielle Oliveira da Silva, Olívia Morais de Medeiros Neta

Resumo


Objetivamos estudar a Escola Profissional do Alecrim a partir das ações do Estado do Rio Grande do Norte para o ensino profissional na década de 1920. Metodologicamente, realizou-se mapeamento e análise documental das mensagens dos governadores do Rio Grande do Norte, as quais se constituem como fontes à esta investigação, sobre ações voltadas ao ensino profissional. O referencial teórico baseia-se na concepção de educação profissional conforme Manfredi (2003) e na dimensão da história política de acordo com René Remond (2003). Concluiu-se que a criação de cursos como Artes Gráficas, Alfaiataria, Serralheria, Marcenaria, Sapataria, Funilaria e as oficinas de Corte e Costura que 300 mulheres participaram em 1952 foram ações Estado do Rio Grande do Norte para a educação profissional na Escola Profissional do Alecrim.

Palavras-chave


História da Educação Profissional. Ensino Profissional. Escola Profissional do Alecrim

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, José D’Assunção. Fontes históricas: olhares sobre um caminho percorrido e perspectivas sobre os novos tempos. Revista Albuquerque, vol.3, n°1, 2010.

CUNHA, Luiz Antônio. O ensino de ofícios artesanais e manufatureiros no Brasil escravocrata. 2. ed. São Paulo: Unesp; Brasília: Flacso, 2005.

MANFREDI, Silvia Maria. Educação Profissional no Brasil. São Paulo: Cortez: 2003

RAGAZZINI, Dario. Para quem e o que testemunham as fontes da história da educação? Educar em Revista, n.18, pp.13-28, jul./dez. 2001. Tradução de Carlos Eduardo Vieira.

RÉMOND, René. Por uma história política. Tradução Dora Rocha. Rio de Janeiro. Editora FGV, 2003

SILVA, Maria da Guia de Sousa. Escola para os filhos dos outros: trajetória histórica da Escola Industrial de Natal (1942-1968). 2012. 225p. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Centro de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação. Natal, 2012.

RIO GRANDE DO NORTE. Mensagem apresentada à Assembleia Legislativa, em 1º de novembro de 1922, pelo Governador Antonio José de Mello e Souza. Natal: Typ. Commercial - J. Pinto & C., 1922.

RIO GRANDE DO NORTE. Mensagem apresentada à Assembleia Legislativa, em 1º de novembro de 1924, pelo Governador José Augusto Bezerra de Medeiros. Natal: Typ. d' A REPUBLICA., 1924.

RIO GRANDE DO NORTE. Mensagem apresentada à Assembleia Legislativa, em 1º de novembro de 1925, pelo Governador José Augusto Bezerra de Medeiros. Natal: Typ. d' A REPUBLICA., 1925.

RIO GRANDE DO NORTE. Mensagem apresentada à Assembleia Legislativa, em 1º de outubro de 1926, pelo Presidente José Augusto Bezerra de Medeiros. Natal: Typ. d' A REPUBLICA., 1926.

RIO GRANDE DO NORTE. Mensagem apresentada à Assembleia Legislativa, em 1º de outubro de 1929, pelo Presidente Juvenal Lamartine de Faria. Natal: Typ. Imprensa Official, 1929.

RIO GRANDE DO NORTE. Mensagem apresentada à Assembleia Legislativa, em 1º. de outubro de 1930, pelo Presidente Juvenal Lamartine de Faria. Natal: Imprensa Official, 1930.

RIO GRANDE DO NORTE. Exposição apresentada em 1935 ao presidente da República Dr. Getúlio Vargas, pelo interventor Mario L. Pereira da Camara. Imprensa Official. Natal. 1935

RIO GRANDE DO NORTE. Mensagem apresentada à Assembléia Legislativa Estadual por ocasião da abertura da sessão legislativa de 1952 pelo Dr. Sylvio Piza Pedroza, Governador do Estado. Natal: Departamento de Imprensa, 1952.

RIO GRANDE DO NORTE. Mensagem apresentada pelo Governador Dinarte de Medeiros Mariz à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, em 1º de junho de 1956. Natal: Departamento de Imprensa. 1956.

RIO GRANDE DO NORTE. Regimento Interno dos Grupos Escolares. Natal: Typ. d’A República, 1925.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Revista Brasileira de Iniciação Científica, Itapetininga, SP, Brasil, ISSN: 2359-232X

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.