Civilização e violência: a Primeira Guerra Mundial e as teorias de S. Freud e B. Russell

Patrícia de Oliveira Bastos, Marcelo Gantus Jasmin

Resumo


Tomando-se a Primeira Guerra Mundial como uma fissura nos pilares do projeto civilizatório iluminista, o presente artigo buscou analisar os ensaios Considerações atuais sobre a guerra e a morte, de Sigmund Freud, e Porque os homens vão à guerra, de Bertrand Russell, com o objetivo de abordar as origens não conscientes da Primeira Guerra Mundial,  atentando para o uso que cada um dos autores fez da ideia de impulso/pulsão e buscando comparar o uso desse conceito-chave pelos referidos autores.

Texto completo:

29-36

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Revista Brasileira de Iniciação Científica, Itapetininga, SP, Brasil, ISSN: 2359-232X

 Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.